RPG de The Vampire Diaries, onde você pode viver como nossos queridos personagens.
 
InícioFAQBuscarRegistrar-seConectar-se

Compartilhe | 
 

 Trama do RPG

Ir em baixo 
AutorMensagem
Elena Gilbert
Administrador
Administrador
avatar

Mensagens : 149
Pontos : 612
Data de inscrição : 30/04/2012
Idade : 21
Localização : Mystic Falls

MensagemAssunto: Trama do RPG   Ter Maio 01, 2012 2:53 pm

Seres sobrenaturais vagam entre os humanos a milênios. Eles, são conhecidos como demônios. Vamos conferir.
Lobisomens são humanos que vivem normalmente, mas na noite de lua cheia eles se transformam em lobos incontroláveis e mortais. Dizem que a licantropia é uma punição que Zeus deu ao rei Licaão, que tentou servir carne humana em um banquete. Nas antigas crenças, a metamorfose de um humano a lobo é um castigo divino. Vampiros são humanóides que se alimentam de sangue humano e são imortais. Beber sangue já é algo demoníaco, já que tira a vida da pessoa. Ser imortal e não poder andar no sol, já comprovam a imagem. Bruxas são muito famosas. Pessoas que conseguem realizar feitiços verdadeiros é muito raro, e não porquê estejam em extinção, e sim porquê elas não se mostram e preferem levar uma vida pacata. Algumas histórias são famosas, como as bruxas de Salém, a caça as bruxas. Porém naqueles massacres muitos inocentes morreram e a única bruxa que parece ser verdadeira que foi historicamente comprovada a existência foi Anna Göldi, e para eles, as bruxas eram seres demoníacos e anormais. Mas será que é isso? Bruxas não podem ser pessoas normais com dons herdados? Lobisomens são realmente selvagens? Vampiros não podem andar no sol? E um vampiro tem mesmo que se alimentar de sangue humano? Continua...

Parte Um


Última edição por Elena Gilbert em Ter Maio 08, 2012 9:41 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mysticfallsrpg.forumeiro.com
Elena Gilbert
Administrador
Administrador
avatar

Mensagens : 149
Pontos : 612
Data de inscrição : 30/04/2012
Idade : 21
Localização : Mystic Falls

MensagemAssunto: Re: Trama do RPG   Ter Maio 01, 2012 11:18 pm

Querido diário,
Algo horrível está para acontecer hoje.
Eu não sei por que escrevi isso. Isto é maluco. Não há razão para eu está me perturbando e há muitas razões para eu está feliz, mas... Mas aqui estou eu ás 5:30 da manhã, desperta e assustada. Eu me mantive falando, apenas isso. Eu estava completamente desorientada devido a diferença de horário entre a França e aqui. Mas isso não explicava o porquê de eu estar tão assustada. Estávamos voltando do aeroporto, e eu senti o tal sentimento estranho. Quando nos dobrávamos na nossa rua, eu imediatamente pensei “Mamãe e papai estão esperando por nos em casa. Eu aposto que eles estão de frente para a varanda, na sala olhando para fora da janela. Eles devem ter sentindo tanto minha falta.” Eu sei. Isto soa completamente maluco. Mas ainda quando eu vi a casa e a frente da varanda vazia, eu ainda me sentir bem. Corri cansada para porta e bati com o batedor. E quando tia Judith destrancou a porta,eu irrompe para dentro e apenas oscilei no hall escutando, esperando ouvir mamãe descendo as escadas ou papai falando de toca. E o pior sentimento que eu tive em toda minha vida, veio para mim. Eu nunca tinha me sentido tão absolutamente e completamente perdida. Casa. Eu estou em casa. Por que isso soa como uma mentira?
Eu sempre vivi nessa casa, sempre. Esse é meu mesmo antigo quarto, com as marcas chamuscadas nas tábuas onde Caroline e eu experimentamos cigarros na 5º serie e quase nos engasgamos. Eu poderia olhar para fora da janela e ver a grande árvore que os meninos subiam para estragar a minha festa do pijama há dois anos atrás. Esta é a minha cama, minha cadeira, meu armário. Bem, mas agora tudo parece estranho para mim. Como se eu não pertencesse à este lugar. Esta sou eu fora desse lugar. E a pior coisa é que sinto que este é o lugar que eu devo pertencer, mas eu não posso encontrá-lo. Eu tenho que ver essa multidão todo dia, pensei. Nós esperávamos nos encontrar no terreno do estacionamento antes da escola. É com isso pelo que eu estou assustada? Eu estou assustada com eles?


Parte Um

Editado por Elena Gilbert 21:42. Essa mensagem foi editada 1 vez

_________________



Elena Gilbert
Mesmo quando você não sabe para onde vai, ajuda saber que você não está indo
sozinha. Ninguém tem todas as respostas. Às vezes, o melhor que podemos fazer
é pedir desculpas, e deixar o passado no passado. Outras vezes, precisamos olhar
para o futuro e saber que, mesmo quando achamos que vimos de tudo, a vida ainda
pode nos surpreender, e ainda podemos surpreender a nós mesmos.


Legenda

Ações
Falas
Pensamentos
Outros
OFF


Última edição por Elena Gilbert em Ter Maio 08, 2012 9:43 pm, editado 2 vez(es)
Voltar ao Topo Ir em baixo
http://mysticfallsrpg.forumeiro.com
Damon Salvatore
Administrador
Administrador
avatar

Mensagens : 17
Pontos : 241
Data de inscrição : 06/05/2012
Idade : 21
Localização : Mystic Falls

MensagemAssunto: Re: Trama do RPG   Dom Maio 06, 2012 8:44 pm

O cemitério estava vazia, exceto por uma garota. Ela estar ali não era nenhuma surpresa, estava sempre ali. Folhas de carvalho formavam redemoinhos por entre as fileiras de lápides, e as árvores sacudiam juntas seus galhos em frenesi. As mãos de Elena estavam frias, seus lábios e suas bochechas estavam sem sensibilidade, mas ela se mantinha encarando o grito do vento diretamente, gritando através dele. Esse tempo era uma demonstração do Poder dele, com a intenção de assustá-la. “Damon! Maldito, me responda!” ela gritou para os carvalhos que limitavam o cemitério. Uma folha morta de carvalho que parecia uma mão marrom e murcha voou até seu pé, mas não houve nenhuma resposta. Acima, o céu estava cinza como vidro, cinza como as lápides cercando ela. Elena sentiu raiva e frustração ardendo em sua garganta e cedeu. Ela estava errada. Damon não estava aqui realmente; ela estava sozinha com o grito do vento. Ela virou-se— e ofegou. Ele estava logo atrás dela, tão perto que suas roupas tocaram nele enquanto ela se virava. Nesta distância, ela deveria ter sentido outro humano parado lá, deveria ter sentido o calor de seu corpo ou ouvido ele. Mas Damon, é claro, não era humano. “Onde está Stefan?” Uma linha apareceu entre as sobrancelhas negras de Damon. “Que Stefan?” Elena andou até ele e deu um tapa. Ela não havia pensado em fazer isto antes de fazer, e mais tarde ela mal podia acreditar no que tinha feito. Mas tinha sido um tapa bem forte, com toda a força de seu corpo, e virou a cabeça de Damon para o lado. Sua mão doía. Ela parou, tentando acalmar sua respiração, e observou ele. Ele estava vestido como da primeira vez em que se encontraram, em preto. Suaves botas pretas, jeans pretos, suéter preto, e uma jaqueta de couro. E ele parecia com Stefan. Ela não sabia como ela não tinha percebido isso antes. Porém ele tinha uma boa aparência perturbadora, seu cabelo era liso, não ondulado, sua boca era cruel, e seus olhos, pareciam um poço sem fim, a convidando a cair. “Não minta para mim,” ela disse, sua voz tremendo. “Eu sei quem você é. Eu sei o que você é. Você matou o Sr. Tanner ontem a noite. E agora Stefan desapareceu.” “Ele desapareceu?” “Você sabe que sim!” Damon sorriu e parou imediatamente. “Eu estou te avisando; se você tiver machucado ele—” “Então o quê?” ele disse. “O que você vai fazer, Elena? O que você pode fazer, contra mim? O dia estava morto e silencioso a sua volta, como se eles estivessem imóveis no centro de algum grande círculo de poder. Parecia que tudo, o céu pesado, os carvalhos e as faias roxas, o próprio solo, estava conectado à ele, como se ele sugasse Poder de tudo isso. Ele estava com a sua cabeça ligeiramente para trás, seus olhos insondáveis e cheios de cores estranhas. “Eu não sei,” ela sussurrou, “mas eu vou achar alguma coisa. Acredite em mim.” Ele riu de repente, e o coração de Elena deu uma sacudida e começou a bater rigorosamente. Deus, ele era bonito. Belo era uma palavra fraca para descrevê-lo. Como costume, a risada durou apenas um momento, mas mesmo quando seus lábios já estavam sossegados ela deixava traços no seu olhar. “Eu acredito em você,” ele disse, relaxando, olhando ao redor do cemitério. Então ele se virou e estendeu a mão para ela. “Você é muito boa para o meu irmão,” ele disse casualmente. Elena pensou em atirar a mão para longe, mas ela não queria tocar nele novamente. “Diga-me onde ele está.” “Depois, possivelmente—por um preço.” Ele retirou sua mão, assim que Elena percebeu que nela havia um anel como o de Stefan: prateado e lápis lazuli. Lembre-se disso, ela pensou ferozmente. É importante. “Meu irmão,” ele continuou, “é um tolo. Ele acha que porque você parece com Katherine você é fraca como ela. Mas ele está errado. Eu podia sentir sua raiva do outro lado da cidade. Eu posso sentir agora, uma luz branca como o sol do deserto. Você tem força, Elena, mesmo como você é. Mas você pode ser muito mais forte...” Ela olhou fixamente para ele, sem entender, não gostando da troca de assunto. “Eu não sei do que você está falando. E o que isso tem haver com o Stefan?” “Eu estou falando de Poder, Elena.” De repente, ele deu um passo para perto dela, seus olhos fixos nos dela, sua voz suave e urgente. “Você já tentou todas as outras coisas, e nada satisfez você. Você é a garota que tem tudo, mas sempre tem algo fora do seu alcance, algo que você precisa desesperadamente e que não pode ter. Isto é o que eu estou te oferecendo. Poder. Vida eterna. E sentimentos que você nunca sentiu antes.”

Parte Um

Editado por Elena Gilbert 21:42. Essa mensagem foi editada 1 vez

_________________


Damon
Cuidado com o quê você não conhece
Voltar ao Topo Ir em baixo
Damon Salvatore
Administrador
Administrador
avatar

Mensagens : 17
Pontos : 241
Data de inscrição : 06/05/2012
Idade : 21
Localização : Mystic Falls

MensagemAssunto: Re: Trama do RPG   Seg Maio 07, 2012 2:36 pm

Parte Dois

Meses se passaram e... paz. Esther enfim, não tinha como atacar seus filhos e Damon, Caroline, Stefan e Tyler não tinham mais riscos de morrer. Os aneis tinham sido destruidos, Jeremy não estava mais a salvo mas pelo menos não poderia ficar como Alaric. Quando finalmente parecia que havia paz, e que Elena poderia fazer sua escolha, algo novo aparece. Ninguém sabe o quê é, nem mesmo Bonnie ou Klaus. Só sabem que é poderoso, algo mais poderoso até mesmo que um original, e não está do lado deles. Dessa vez, os demônios não querem Elena, e sim, poder. Mystic Falls só é o começo. Ele querem dominar todas as raças, dominar a todos. O demônio entra na mente de pessoas, qualquer tipo de pessoas, dominando suas mentes, pegando segredos, implantando provas e o controlando. O poder do demônio atraiu outros seres sobrenaturais, e ninguém mais tem controle dos vampiros e lobisomens a solta.

Ultima edição por Elena Gilbert as 21:43, essa mensagem foi editada 2 vezes.

_________________


Damon
Cuidado com o quê você não conhece
Voltar ao Topo Ir em baixo
Conteúdo patrocinado




MensagemAssunto: Re: Trama do RPG   

Voltar ao Topo Ir em baixo
 
Trama do RPG
Voltar ao Topo 
Página 1 de 1
 Tópicos similares
-
» ♦ Nossa Trama
» OS QUATRO VENTOS - TRAMA
» {Trama Pessoal} Thief
» [TRAMA] Animal Sagrado
» ✘ {OBLIVION} ✘ - Trama pessoal de Drillbit Jackson

Permissão deste fórum:Você não pode responder aos tópicos neste fórum
The Vampire Diaries RPG :: Mural :: Trama-
Ir para: